sexta-feira, 11 de setembro de 2015

Momento lírico 392

QUE VENHAM OS POETAS
(Karl Fern)

Poetas são espíritos vivos
Índoles deveras diferentes
Bailam líricas suas mentes
Adindo impulsos emotivos
Rudes caprichos sensitivos
Entre poemas e repentes.

Viva denguice consciente
Navega lídima imaginação
Urde versos com emoção
Pra cada detalhe corrente
Numa fantasia envolvente
Verte lirismo em devoção.

No encanto de sua criação
Até escuridão infere cores
Mesmo na frágua das dores
Remete íntima consolação
Mitiga  sáfaras  do coração
Parecendo tudo ser flores.

Assim, minando dissabores
Pela humanidade inquieta
Povoa esta figura concreta
Essência de nédios odores
Relicário de santos amores
Carecemos ter mais poetas!


Um comentário:

Lucena Fernandes disse...

Que os.poetas se multipliquem e nos traga sempre belos poemas e muito romantismo!