quarta-feira, 24 de junho de 2015

Momento lírico 373

 
O SILÊNCIO DAS SOMBRAS
(Karl Fern)

Na vida temos a certeza
Isso independe da sorte
O vivente fraco ou forte
Pulsando saúde e beleza
Imutável lei da natureza
Não se escapa da morte.

Que seja o ás do esporte
Ou que nem possa correr
Não há pra onde acorrer
More no sul ou no norte
Que jamais doa um corte
Um dia vai ter de morrer.

Nem adianta vir recorrer
Ao medicamento famoso
Ou feitiço super tinhoso
Nada vai poder socorrer
Vai sentir a vida escorrer
Pra seu destino doloroso.

Quem se achar poderoso
Acima do bem e do mal
Entre mortais, o maioral
Cheio da grana e famoso
Prepotente e orgulhoso
Também terá seu funeral.

Todos terão fatídico final
Seja longa ou encurtada
Esta dadivosa caminhada
Investir tudo no material
Somar riqueza individual
Não vai acrescentar nada.

A sua alma será lembrada
Por ter tido bom coração
Na bondade de cada ação
Quando em vida realizada
Pois a memória abençoada
Historia a ode da gratidão!

Na morte poderes se vão
Nada valerá eternamente
Corpo será pó novamente
Asqueroso em sua podridão
Só vermes o acompanharão
E o silêncio das sombras... somente!


Um comentário:

Lucena Fernandes disse...

Este é o grande prêmio da vida......e no final a morte!