sexta-feira, 12 de junho de 2015

Momento lírico 370

QUERER ETERNO
(Karl Fern)

Te conheci na intimidade
Reinei por cada cantinho
Cobri teu corpo de carinho
Domei limites da sanidade
Dei meu amor de verdade
Na magia do ousado ninho.

Tu foste meu nobre vinho
Qual sorvia com tal querer
Que a cada um amanhecer
Via-me novamente sozinho
Só por ficar um pouquinho
Longe desse íntimo prazer.

Teu cheiro vinha convencer
Embevecia-me ver sorrindo
Teu abraço ia-me despindo
Do pudor em te pertencer
Teu beijo apressava-me crer
Na ânsia de te ir invadindo.

Néctar das carícias surgindo
Seguia curvas embriagantes
Buscando talhes insinuantes
Em ébrios laços sucumbindo
Minha fina seiva explodindo
Na mais mimosa das amantes.

Na nudez de copos arfantes
A lúcida volúpia consumida
Ouvia tua voz quase sumida
Lábios abrindo-se flamejantes
O mais lindo dos semblantes
“És o homem da minha vida!”

Ainda permaneces querida
Mas foste pra muito distante
Do sedutor desejo flamante
Que esplandeceu minha vida
Não há esperança concebida
Mas uma saudade exultante!

2 comentários:

Anônimo disse...

IDEM....

Lucena Fernandes disse...

Não tinha visto esse poema ainda. É lindo demais!