sábado, 23 de maio de 2015

Mapeamento do plâncton

Cientistas descobriram um mundo de biodiversidade no plâncton, o conjunto de diminutas plantas, algas, vírus, bactérias e peixes embrionários, que são o alimento favorito das baleias e também um dos maiores provedores de oxigênio do planeta.
Sabia-se que o plâncton era fundamental para o meio ambiente porque serve como base da cadeia alimentar marinha e fornece metade do oxigênio gerado na Terra graças à fotossíntese. Agora, os cientistas descobriram que o plâncton é muito mais complexo do que tinham imaginado, segundo cinco estudos divulgados na revista Science. Os estudos foram feitos durante uma expedição de vários anos conhecida como o projeto Tara Oceans.
Entre 2009 e 2013, pesquisadores internacionais viajaram a bordo da escuna francesa “Tara” e coletaram 35.000 amostras de plâncton de todas as grandes regiões oceânicas. As análises revelaram cerca de 40 milhões de genes, a maioria dos quais é nova para a ciência, o que indica uma biodiversidade muito maior no plâncton do que supúnhamos antes.
A embarcação também coletou informação sobre a profundidade, a temperatura e a salinidade dos oceanos, assim como as interações entre as minúsculas formas de vida existentes na água. A equipe identificou, ainda, 5.000 populações de vírus nas cepas superiores dos oceanos do mundo.
Este mapeamento constitui um primeiro passo rumo a uma compreensão maior da dinâmica e da estrutura do ecossistema marinho em sua globalidade, comentaram os pesquisadores. Além disso, compreender a distribuição destes organismos e suas interações é útil para estudar as mudanças em escala global, sobretudo as vinculadas ao aquecimento global e seu impacto nos sistemas oceânicos.
Fonte: Terra

Nenhum comentário: