segunda-feira, 2 de março de 2015

O futuro depende da Antártida?

As chaves para responder às perguntas mais básicas da humanidade estão encerradas na Antártida, de quase duas vezes o tamanho do Brasil: de onde viemos? Estamos sós no Universo? Qual é o destino de nosso planeta em aquecimento?
Os primeiros exploradores chegaram a este continente congelado há 194 anos, buscando riquezas do século 19 como peles e óleo de baleia e foca, tingindo com sangue as ondas do oceano. Desde então, o primeiro continente formado demonstrou ser uma arca de tesouros para os cientistas que tentam determinar tudo, desde a criação do cosmo até o quanto as águas se elevarão com o aquecimento global.
A Antártida reúne imagens de montanhas silenciosas e brancas planícies, mas o mais frio, seco e remoto dos continentes não está adormecido. Cerca de 98% de sua superfície estão cobertos de gelo, o qual está em constante movimento. Sendo um vulcão ativo, a ilha Decepção é um cadinho de condições extremas. Há lugares onde o mar ferve a 100 graus centígrados, enquanto em outros pode estar abaixo de 0 grau.
Os cientistas procuram respostas pra o que poderá afetar a vida de pessoas a milhares de quilômetros de distância. Se os especialistas estiverem certos e a plataforma de gelo da Antártida ocidental já começou a derreter de maneira irreversível, o que ocorrerá aqui determinará, por exemplo, se cidades como Miami, Nova York, Nova Orleans, Guangzhou, Mumbai, Londres e Osaka terão de combater de forma regular as inundações causadas pelo aumento do nível dos mares.
Fonte: Revista Eletrônica AMBIENTE BRASIL (via newsletter)


Nenhum comentário: