segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Plástico comestível brasileiro

Pesquisadores da Embrapa desenvolveram no interior de São Paulo um material que pode revolucionar as embalagens dos alimentos. É um plástico comestível, feito a partir de legumes e frutas e que não vira lixo.
Os pesquisadores da Embrapa de São Carlos, no interior de São Paulo, encontraram uma solução melhor. Utilizaram como matéria-prima beterraba, mamão, maracujá. Os alimentos triturados e transformados em uma massa foram para a esteira de uma máquina que usa luz infravermelha para retirar a umidade. Em dez minutos, frutas, legumes ou hortaliças viram uma película comestível. Com um mamão dá para fazer três metros de filme.
Sem petróleo e nenhum componente químico, o plástico comestível pode ser feito com sobras de alimentos e mantém as propriedades nutritivas graças aos conservantes naturais: óleo de canela e quitosana, uma substância extraída da casca do caranguejo e tem propriedades bactericidas, ou seja, ela mata bactérias e pode ser usada para aumentar o tempo de vida útil dos alimentos na prateleira. A película comestível é polivalente: dissolve fácil na água e pode ser consumida na forma de sucos e vitaminas.
Foram oito anos de trabalho para desenvolver o produto. Além dos filmes comestíveis naturais, os pesquisadores também misturaram corantes e aromas para criar novos sabores como cereja, menta e baunilha. No futuro, as embalagens plásticas poderão servir de tempero para o frango, por exemplo, e no forno dissolver os ingredientes ou se transformar em sachês comestíveis para sopas e produtos congelados. Os voluntários que experimentaram aprovaram a novidade.
O novo produto vai impactar menos o meio ambiente e deve chegar ao mercado em até dois anos.
(Fonte: G1)


Nenhum comentário: