quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015

Momento lírico 344

DESARMONIA
(Karl Fern)

Se perpetuas olvidar
Não conto mais sonhar
Tudo é melancolia
Não quiseste confiar
Sonegaste me doar
O amor que merecia.

Eu persisto te dizer
Que este meu querer
Jamais foi fantasia
Se veio a acontecer
Foi como conhecer
O perfume da alegria!

Assim já devo-me ir
Sem nada mais pedir
Em busca de alforria
Se eu não mais sorrir
Foi por me desiludir
Nessa triste agonia!

Se amargo esta dor
É o espinho da flor
Que pensei ter um dia
Restou então compor
Cantar versos de amor
Em sonante melodia.


Um comentário:

Anônimo disse...

Apesar de ter ter direitos sobre o coração de alguém, declaçoes feitas sem intenção, termina por magoar um coração que ama irremediavelmente!