sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Momento lírico 342

IRRESISTÍVEL
(Karl Fern)

No desfolhar dos lampejos
Perene restinga dos desejos
A doce percepção da retina
Reflexo como gotas de colírio
Das pétalas de flores de lírio
Como um bailado de rotina.

No suave pulsar da cortina
Tênue luminescência confina
Fluidos balouçar dos trejeitos
Nestes meus olhos fascinados
Pululam de lúmens faiscados
No perfil de traços perfeitos.

Em movimentos insuspeitos
No lascivo mundo dos leitos
Da inflável paixão renascente
A risonha loucura me convida
Universo de sonhos dessa vida
Afogo-me nesse corpo fulgente.

Nenhum comentário: