quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Sobre numerais


O número cardinal é aquele que expressa uma quantidade absoluta, enquanto o número ordinal indica a ordem ou a série em que determinado número se encontra incluído.
Num exemplo simples: o mês de setembro é composto de 30 dias. O número 30 indica o total, a quantidade absoluta, de dias desse mês. Trata-se, portanto, de um número cardinal. Porém, empregamos outro ponto de vista quando dizemos "dia 30 de setembro". Nesse caso o número 30 não está sendo usado para indicar os 30 dias do mês, mas o “trigésimo” dia de setembro, especificando o seu lugar na ordem de sucessão dos dias desse mês, explicando uma ordem. Trata-se, então, de uma utilização ordinal.
Na nossa vida cotidiana, utilizamos os números em algumas situações que não revelam nem seu aspecto cardinal nem ordinal. Um exemplo disso são os números de telefones. O fato de telefonarmos para 190, telefone da polícia, não significa nem que o 190 é o 190º número de telefone, nem que existem, até ele, 190 telefones. É apenas um código! Outro exemplo comum de código numérico são os códigos de barras, aquelas barrinhas pretas nos produtos em que você compra.
Assim, o ordinal é uma classificação dos números onde eles estão relacionado à uma posição ou ordem em um grupo ou série. Esses números indicam posição ou ordem. Como exemplo podemos citar: 1º – primeiro, 10º décimo, 22º vigésimo segundo, 101º – centésimo primeiro, etc…
Algumas características que os números ordinais possuem:
1 – flexão de gênero: segundo e segunda, quinto e quinta, vigésimo e vigésima, etc.
2 – flexão de número: primeiro e primeiros, terceiro e terceiros, sétimo e sétimos, etc.
3 – forma abreviada de escrita: segundo – 2º, terceira – 3ª, quarto – 4º, oitava – 8ª, etc
Fonte: UOL / CURIOSO LINKS

Nenhum comentário: