terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Momento lírico 323


UMA JANELA PARA O CÉU
(Karl Fern)

Contemplando o céu infinito
Muito além da observação
Confunde-se meu coração
No silêncio puro e inaudito
Ouço um melancólico grito
Perturbando a imaginação!

Surfo na angústia da solidão
Apanhado no olhar perdido
Por entre astros escondido
Pelos confins da imensidão
Transmutado pela escuridão
Em pulsações sem sentido!

E no pensamento recolhido
Do passado de sublimidade
Ressoam ecos de felicidade!
E vendo o infinito, comovido
Sinto meu corpo envolvido
Em um vendaval de saudade!


Nenhum comentário: