segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Momento lírico 305

DESABAFO
(Karl Fern)

Fundada por um idealista
Esta gigantesca empresa
Grande pela sua natureza
Com todo petróleo a vista
Seu monopólio extrativista
Sendo nosso com certeza

Contudo por pura safadeza
Um bando de índole ladina
Todos agindo na surdina
Conseguiram a vil proeza
Por no limiar da pobreza
Essa brasileira cristalina!

Uma tal de “Passadena”
Que não valia um tostão
Por um esquema ladrão
Veio rimar com propina
Mostrando a triste sina
Do idioma e da nação!

Por roubo em profusão
Nosso orgulho nacional
Com este grupo marginal
Tomando a administração
Entrou em um turbilhão
Um verdadeiro bacanal.

E o que não valia nada
Como foi firmado acima
Junto com a Abreu e Lima
Custou uma fortuna danada
E cadê a produção falada?
Era maligna pantomima!

Ferindo nossa autoestima
Algo me derruba doente
Parece um povo demente
Não reconhece este clima
Atos desta praga sublima
E ainda vota nessa gente!


Nenhum comentário: