sábado, 20 de setembro de 2014

Momento lírico 304

ALMA TRISTE! (soneto!)
(Karl Fern)

Hoje a saudade aninhada em meu peito
Faz redemoinhos em volta deste coração
Rola em meu rosto um filete de emoção
Lágrima tristonha com rastro imperfeito.

Emaranhados pela brisa dessa recordação
Meus cabelos montam penteado desfeito
No desencanto de lençóis sobre meu leito
Minha alma lateja agoniada em comoção.

Sonhos perdidos num futuro do pretérito
Retirado sem qualquer resquício emérito
Nas sobras um insano paiol de imensa dor

Como um destino traçado na eternidade
Foram-se todos os instantes de felicidade
Largando amarguras na poeira desse amor!


Nenhum comentário: