quinta-feira, 24 de julho de 2014

Momento lírico 286

DESGOSTO PROFUNDO
(soneto)
(Karl Fern)

Pendência da perda de um grande amor
Táctil vazio que invade um corpo carente
Padecimento vago que no retiro se sente
Ninguém é isento de sentir tamanha dor.

Sentimento que torna a alma indigente
Vai machucando com espírito perversor
Segue castigando com estigma agressor
Envolvendo com angústia imprevidente.

É tormento que não tem receita de cura
Revolve a alma com hedionda amargura
Ingrata chuva intermitente de frustração.

Torpe desgosto que a própria razão afeta
Com tantos mistérios indagou certo poeta
Saudade seria uma invenção do coração?



Um comentário:

Anônimo disse...

Doída invensão...