quarta-feira, 11 de junho de 2014

Momento lírico 276

E TRISTE! 
(Exame de próstata)
(Karl Fern)

São três medonhos locais
Recantos deveras inglórios
Da prostração são empórios
Vis, mórbidos, irracionais
São cemitérios e hospitais
E esperas de consultórios.

De todos o mais espinhoso
Que humilha todo otimista
Que se visita sem dar pista
Pois tal exame é cabuloso
Pra todo macho é doloroso
É o do médico urologista.

Nas esperas pras consultas
Haja conversas de doentes
Extirpam o ânimo da gente
Pessoas de índoles sepultas
Com medo ou dores ocultas
Temendo o exame demente.

E o pior destas insanidades
Para desespero e suplício
Esperar que pelo estrupício
De um doutor sem piedade
Meter um dedão de verdade
Sem pena daquele orifício.

Para reconfortar a natureza
Diz como um alívio inocente
“Não encontrei nada diferente!”
Mas logo vem outra tristeza
Sério lembrará com certeza
“Ano vindouro volte novamente!”

Um comentário:

Lucena Fernandes disse...

São males necessários! Graças a Deus quando não se encontra nada! O desconforto passa!