sábado, 15 de março de 2014

Momento lírico 255

CANÇÃO DO SILÊNCIO!
(Karl Fern)

Silêncio da madrugada
Lúdicas horas da boemia
Uma romântica melodia
Por alguém era entoada
Cantiga de voz magoada
Numa dolorosa agonia.

Naqueles acordes fluía
Dolente toque de aflição
Uma tristeza da emoção
Da ausência de companhia
Naquele clamor se sentia
Lágrimas da resignação.

Plácido canto de ilação
Um choro desconsolado
Penoso hino amargurado
Uma aspirante libertação
Ou preito de redenção
De amar sem ser amado!

Ter um mundo encantado
Não é bastante a vontade
E na busca da felicidade
Se tudo não for depurado
Sonhos ficarão no passado
Sobejarão dor a saudade.

Nenhum comentário: