sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Momento lírico 228

AGONIA
(Karl Fern)

Toda quebra de confiança
Arrasa qualquer harmonia
Descarrilhando a sintonia
Faz tremer a esperança
E tudo que era bonança
Ganha colares de agonia.

O que espelhava sinfonia
De ungida cumplicidade
É salpicado pela maldade
Some a plácida eufonia
O gracioso torna-se ironia
Machucando a felicidade.

Na aura da emotividade
O coração é mesmo assim
Com espinhos no seu jardim
Ferindo em sua dignidade
Até um amor de verdade
Tem começo, meio e fim.


3 comentários:

Anônimo disse...

A confiança é um espelho , que quando quebrado, nunca mais volta a forma primeira, por mais que tentemos colar! O verdadeiro amor jamais acaba, nem mesmo com a separação!

Lindo poema! Cada vez melhor!

Lucena Fernandes disse...

Para mim, confiança é tudo! E não concordo que amor acabe. Se acabou, nunca foi amor!

Professor Carlão disse...

Mesmo que tenha uma vida tão longa que pareça eterna, tudo que nasce um dia morre! É uma regra inexorável da natureza!