sexta-feira, 13 de dezembro de 2013

Momento lirico 223


PASSADO BENDITO
(Karl Fern)

Não penso que ela mentia
Mais vale é que acreditei
As juras de amor que lhe dei
Era tudo que mais queria
Era meu coração que cedia
Fruto do amor que sonhei.

Tudo que com ela gozei
Jamais me será retirado
Vivi um mundo encantado
Somente eu senti e o sei
Portei-me como astro-rei
Julguei-me um abençoado.

Se tudo isso é passado
Se houve outras verdades
O que tenho são saudades
De como fui apaixonado
Agradeço a Deus o pecado
Que só me deu felicidades!

Por que cultuar maldades
Onde existiu tanto prazer
Por que criar malquerer
Onde arei minhas vontades
Se entre outras dignidades
O bom não quero esquecer?

Era nosso dourado querer
Nada me foi um suplício
Fui feliz desde o início
Deliciei-me lhe pertencer
Nas loucuras que pude viver
Amá-la não foi desperdício!


5 comentários:

Lucena Fernandes disse...

É isso aí poeta! Às vezes a gente se engana com juras mentirosas!

Anônimo disse...

Nunca foi nem nunca será desperdiçado o amor que se dá, e que se recebe! Um poema mais que perfeito!

Bravo!Lindo!Verdadeiro!

Marilia disse...

Lindo Demais, parabéns!

Anônimo disse...


Você foi o maior dos meus casos
De todos os abraços o que eu nunca esqueci
Você foi dos amores que eu tive
O mais complicado e o mais simples pra mim
Você foi o melhor dos meus erros
A mais estranha história que alguém já escreveu
E é por essas e outras
Que a minha saudade faz lembrar de tudo outra vez
Você foi a mentira sincera
Brincadeira mais séria que me aconteceu
Você foi o caso mais antigo
O amor mais amigo que me apareceu
Das lembranças que eu trago na vida
Você é a saudade que eu gosto de ter
Só assim sinto você bem perto de mim
Outra vez
Esqueci de tentar te esquecer
Resolvi te querer por querer
Decidi te lembrar quantas vezes
Eu tenha vontade sem nada perder
Ah... você foi toda a felicidade
Você foi a maldade que só me fez bem
Você foi o melhor dos meus planos
E o maior dos enganos que eu pude fazer
Das lembranças que trago na vida
Você é a saudade que eu gosto de ter
Só assim sinto você bem perto de mim
Outra vez

Anônimo disse...

EU JURO que não mentia, sempre fui verdadeira! Sito muito!

Lindo poema! #triste