quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Momento lírico 219

NEM LEMBRA
(Karl Fern)

Tempos que pareciam eternos
Travesseiro farto de ilusões
Bonança de carinhos ternos
Vau paradisíaco de emoções.

Pensei ter achado meu cais
Sonhei alcançar a felicidade
Pintei cadernos de esponsais
Nos floreios da intimidade.

Mundo de excelsas intenções
De repente não existia nada
No infesto celeiro de paixões
Minh’alma ruiu amargurada.

Pra mulher que amei demais
Fui só cobiçado brinquedo
Sem referências cardeais
Verso do um vetusto enredo.

E na escancha de maldade
Doou-me insensível desprezo
Banhou-me com a infelicidade
Deu-me o véu do menosprezo.

Como assentado nos anais
Uma paixão sem imunidades
De mim já nem lembra mais
Legou um paiol de saudades.


Nenhum comentário: