quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Momento lírico 211

ACORDES PARA DOIS
(Karl Fern)

Na cama os corpos quentes
Perdem cismas e pudores
Juntam-se desejos ardentes
Clímax de vibrantes amores.

Nesse descontrole dos cios
Misturam-se anseios afoitos
Enchem-se os espaços vazios
No manto louco dos coitos.

Isento de todos os medos
Mútuos rogos sem limites
Castelo de íntimos enredos
No mais doce dos apetites.

Descontrole do consciente
Volúvel atração delirante
Dual fôlego intermitente
Em um cavalgar palpitante.

Num murmurar encantado
Entranhas da alma rumoreja
Ode de um ritual orvalhado
Ecos de uma divinal peleja.

Êxtase ofegante e explosivo
Licor vibrante e magistral
Seivas do gestual instintivo
Apoteose de um vendaval.

Bento suor de vivas gotas
Essência da generosa libido
Sussurros, risos, vozes rotas
Fragrâncias do gozo ungido.

Poema do precioso querer
Suspiros de insana canção
Fogueira de sonho e prazer
Selvagem ritual da criação.


Um comentário:

Lucena Fernandes disse...

Que poema instigante! Perfeito na narrativa!