quarta-feira, 16 de outubro de 2013

Colina, o nutriente!

Um nutriente essencial comum nas vísceras de animais - principalmente no fígado - mas que também se faz presente no ovo é a colina. Componente do complexo B de vitaminas, ela preserva as membranas celulares de todas as células do organismo, deixando-as íntegras e permeáveis à entrada de vitaminas e minerais. Trata-se de uma amina natural encontrada nos lipídios presentes na membrana celular e no neurotransmissor acetilcolina.
A colina também otimiza a comunicação dos nervos com os músculos e reduz o acúmulo de homocisteína no sangue. Os níveis elevados dessa substância estão associados às doenças do tipo cardiovascular, de Alzheimer, assim como a osteoporose.
Sabe-se, ainda, que a colina reduz a inflamação crônica, melhora o funcionamento hepático e previne o acúmulo de gordura no fígado. Entretanto, é por jogar a favor da memória e da concentração que a substância se destaca. Consumir alimentos ricos em colina preserva neurônios e aumenta a produção de acetilcolina, um neurotransmissor que melhora a memória, a capacidade de aprendizado e o humor.
A ingestão diária recomendada é de 550 mg diários para indivíduos adultos do sexo masculino, de 425 mg diários para indivíduos adultos do sexo feminino e ligeiramente superior, cerca de 450 mg diários durante a gravidez. As fontes principais de colina são alimentos como o ovo, fígado de galinha, vitela e de vaca, a mostarda, cereais integrais, entre outros.
Fonte: MINHA VIDA (via newsletter)                            


Nenhum comentário: