terça-feira, 10 de setembro de 2013

Notícia: Coisa de loucos!

Neste mundo tem mais doidos que a gente pensa! Vejam só! 202.586 pessoas de 140 países inscreveram-se para integrar a primeira leva de colonos de Marte em uma viagem sem retorno, na companhia Mars One, empresa sem fins lucrativos holandesa envolvida no projeto.
Iniciada em abril de 2013, a convocação de candidaturas é para uma viagem de sete meses de duração e sem retorno a Marte, prevista para 2023. O maior grupo de interessados provém de Estados Unidos (24%), Índia (10%), China (6%) e Brasil (5%), mas também se inscreveram candidatos de Argentina, Chile, Colômbia, Espanha, México e Peru, bem como de Alemanha, Austrália, Canadá, Filipinas, França, Itália, Polônia, Reino Unido, Rússia, Turquia e Ucrânia.
Três fases de seleção estão previstas nos próximos dois anos, acrescentou a Mars One. Até 2015, entre seis e dez equipes de quatro pessoas receberão treinamento completo antes de que algumas dessas equipes se tornem em 2023 os primeiros humanos a pousar em Marte para lá viverem pelo resto de suas vidas.​
Este projeto, que tem custo de US$ 6 bilhões, segundo a Mars One, encontra alguns céticos, mas recebeu o apoio do ganhador holandês do Prêmio Nobel de Física em 1999, Gerard’t Hooft. Até agora só houve missões com robôs a Marte, todas realizadas com sucesso pela Nasa. No entanto, a agência espacial americana informou em maio que os Estados Unidos estão decididos a enviar astronautas a Marte dentro de duas décadas.
Mas o projeto Mars One enfrenta vários obstáculos.  Marte é um grande deserto, a atmosfera é composta principalmente de dióxido de carbono e a temperatura média é de -63 ºC. Os astronautas também se submeterão à radiação cósmica perigosa durante sua viagem. Além de não poderem retornar à Terra, também terão que viver em pequenos habitats, encontrar água, produzir oxigênio e cultivar os próprios alimentos. Por último, ainda não existe um foguete e uma cápsula que transporte esses voluntários.
Fonte: Terra
OBS: Que tal levassem uns 500 deputados federais, outros tantos estaduais, mais uns 70 senadores, 25 governadores, cinco mil prefeitos, 50 mil vereadores e, de quebra, mais quatro ex-presidentes brasileiros?


Um comentário:

Anônimo disse...

Eu fiquei sabendo desse absurdo, mas pensando bem e vendo seu comentário, até que é uma boa solução, pelo menos pra o Brasil!!! rsrsrs

Gostei!