domingo, 29 de setembro de 2013

Momento lírico 206

DORES DO AMOR
(Karl Fern)

As pendências do coração
São complicadas de curar
Elas principiam devagar
Insinuam-se com sedução
E se por malgrada reação
Precisam sair de repente
Melindram tanto na gente
Doe fundo dentro da alma
O espírito perde a calma
A dignidade fica demente!

Por mais que a gente tente
Seja “valente” na decisão
Persiste uma tênue ilusão
Que poderia ser diferente
Revolvem dores na mente
Poderia se mais tolerante
Proceder mais confiante
O vazio aparenta imenso
Vacila-se no bom-senso
O tempo fica angustiante.

Resta persistir controlado
Pra suportar frustrações
Controvertidas emoções
Na autoestima recatado
Ir esquecendo o passado
Fazer essa dor passageira
O que se foi será poeira
No futuro com felicidades
Eivado de sensualidades
Imune à cicatriz traiçoeira.
Fonte: MINHA RIMAS II


Um comentário:

Anônimo disse...

Mais um belo poema pra compor o MINHAS RIMAS II!

Parabéns!!