quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Momento lírico 204

CORPOS E MENTES
(Karl Fern)

Viajante desejo alucinado
Perante atração atiçada
Surto de odor orvalhado
Na rosa prima imaculada.

No descontrole cristalino
Nas nuances corporais
Com o aval do destino
E volteios dos vendavais.

Uma paixão muito afoita
Um propósito desmedido
Sentimento que açoita
Uma lógica sem sentido.

Solto devaneio mental
No compasso sem noção
Cio selvagem e anormal
Ou truques do coração.

Sonhos veem e voltam
Não pedem explicações
São fagulhas que se soltam
Nos floreios das emoções.

Conto de corpos e mentes
Numa conjunção benfazeja
Um concerto inconsciente
Que a ansiedade sobeja.

No suor de vivas gotas
Ocaso da consumação final
Na prece das linhas rotas
Fragrâncias do prazer total.

Êxtase final e primitivo
Licor sublimante e preciso
Seivas do reino instintivo
Em languidez no Paraíso.

Fonte: MINHA RIMAS II

2 comentários:

Anônimo disse...

Um poema afrodisíaco,romântico, quente, tudo de bom!

MINHAS RIMAS II, promete!

Lucena Fernandes disse...

Poema belíssimo. Sem defeito. Parabéns meu poeta predileto!