sábado, 24 de agosto de 2013

Momento lírico 186

TRAJES PASSADOS
(Karl Fern)

Mulheres de antigamente
Dos nossos antepassados
Tinham roupões recatados
Nem lembradas atualmente
Naquele vestuário diferente
Usavam trajes engraçados.

As casadas principalmente
Cobriam tudo desde o gogó
No cabelo faziam um cocó
Vestiam atrás e na frente
Sujeito morria de contente
Se avistasse um mocotó.

Vestidos eram inteiriços
Sobre anáguas unicolores
Uns estampados de flores
Um grande riri corrediço
Se fosse fazer um serviço
Era meia hora de horrores.

Manga da blusa comprida
Pra ninguém ver o suvaco
E do colo nem um naco
Com grande gola fornida
Naquele abafado contida
A mulher fedia a macaco.

Por baixo do longo vestido
Com califons ou corpetes
Mais espartinhos ou coletes
Pra cintura fazer sentido
Com o ventre comprimido
Preso por fortes colchetes.

Que dizer de uma calcinha
Tinham fendinhas de lado
Com um lacinho amarrado
Rodeadas com cianinha
Podia ter bico ou rendinha
Com retrós bem costurado.

Elásticos prendiam o cós
E lá bem perto do joelho
Antes se viam no espelho
Após empoar castos pós
Fechavam por entre ilhós
Com cordões feito relhos.

Mulher jovem e vaidosa
Lá no meu antigo Seridó
Sofria mesmo de dar dó
Tinha de parecer mimosa
A verdadeira luta dolorosa
Era pra sair do caritó!
 (*) Do meu livro MINHA RIMAS II


2 comentários:

Lucena Fernandes disse...

Interessante essa viagem ao passado!

Anônimo disse...

Muito engraçado e interessante! Você será sempre o melhor poeta pra mim!

Um carinhoso abraço!