domingo, 21 de julho de 2013

Cubas

Sempre que possível, é aconselhável fazer com que a bancada seja o elemento que se vê ao abrir a porta de um sanitário, ao contrário do vaso, por exemplo, e as cubas podem ser o elemento de destaque destes ambientes. Se antes eram meras coadjuvantes, a grande variedade em design, formato, cores e matérias no mercado atualmente, têm feito com que elas assumam o papel de protagonistas e passem a ser determinantes na definição dos demais móveis e acessórios do compartimento. Os tamanhos e formas das cubas são muito variados, podendo ser arredondadas ou retas, altas ou baixas, estreitas ou largas.
Alguns modelos podem vir com furos para torneira e suporte para toalhas na própria peça. Os materiais podem ser cerâmicos, vidro ou até no mesmo material da bancada. As diferentes nomenclaturas vêm do tipo de instalação das cubas. Podem ser de embutir, coladas por baixo das bancadas, de semi-encaixe (parte por fora e parte por dentro da bancadas) e de apoio (colocada inteiramente sobre a bancada). Existe ainda cubas de sobrepor (deixam sua moldura aparente), cubas de parede (que dispensam bancadas) e as montadas (feitas no mesmo material e integrante da bancada).
As cubas de vidro e pedra são indicadas para lavabos, enquanto as de louça branca, pretas ou beges são recomendadas para banheiros comuns. A tradicional cuba de embutir deve ser bem pensada pois ocupa espaço dentro do móvel da bancada e comprometem a execução de um armário, por exemplo. As cubas de semi-encaixe são muito práticas para o dia-a-dia por evitarem que água caia no piso! As arredondadas são mais práticas em termos de limpeza.
Fontes: DICAS DE ARQUITEURA / JORNAL DO ENCANADOR


3 comentários:

Lucena Fernandes disse...

Dica excelente para quem está construindo. Valeu!

Anônimo disse...

BELA MATÉRIA!!!

Anônimo disse...

Legal, estava precisando mesmo dessas dicas!