quinta-feira, 6 de junho de 2013

Momento lírico 168

AS ROSAS
(Karl Fern)
Apaixonantes e multicores
Cativantes em seu perfume
Encantam com seu volume
Pintando sorrisos e amores
É o romantismo das flores
Pendentes em tenro galho
Brilhantes gotas de orvalho
Estames, pistilos e sépalas
Na graciosidade das pétalas
Enfeitiçando cada ramalho.

Quis a nossa mãe natureza
Numa perfeição caprichosa
Que guarnecesse a rosa
Salvaguardando a beleza
Terna e suspirante pureza
Feroz séquito de espinhos
Pontudos e escondidinhos
Prontos a ferirem o intruso
Que cometer o cruel abuso
Abduzi-la de ridentes ninhos.

A mais perfeita das rosas
É a mulher que amamos
Com ela nos completamos
De longe a mais mimosa
Linda, cativante, deliciosa,
Sonho em nossos caminhos
É dívida cobrir de carinhos
Vaticiná-la amada e feliz
Senão sobejará a cicatriz
De seus pungentes espinhos.

Um comentário:

Lucena Fernandes disse...

Quanta belza nesse poema! Parabéns!