sábado, 6 de abril de 2013

Poesia clássica

"Metro" é a medida do verso. O estudo do metro chama-se metrificação e escansão é a contagem dos sons dos versos. As sílabas métricas, ou poéticas, diferem das sílabas gramaticais em alguns aspectos. Lembraremos alguns preceitos a esse respeito: contam-se as sílabas ou sons até a tônica da última palavra de um verso.
Exemplos:
- E as-bre/ves = 2 sílabas (“E" e "ves” não contam)
- Vir-gem-das-do/res = 4 sílabas (“res” não conta)
- De es-plên-di-das-i-gre/jas = 6 sílabas (“De” e "jas" não contam)
- Mi-nha-mu-lher-ex-pi-rou = 7 sílabas (“rou” é a última tônica)
- A-mo-t,ó-cruz,- no-vér-ti-ce-fir-ma/da = 10  (“da” não conta e “te+ó” é uma sílaba só)
Chamando os versos por números, eis algumas posições de rimas do cancioneiro popular nordestino:
- Sextilha do improviso: 123242
- Sete pés: 1232442
- Décima: 1221133443
Fonte: DIVERSAS!

2 comentários:

Lucena Fernandes disse...

Como é difícil!

Anônimo disse...

PÔXA!! Que difício, não me arriscarei a aprender!!!

Ótima explicação!