sexta-feira, 15 de março de 2013

Sobre a cachaça

A cachaça é conhecida por mais de 2000 nomes, como abençoada, abrideira, água que passarinho não bebe, amnésia, birita, codório, conhaque brasileiro, da boa, delas-frias, danada, divina, espevitada, espírito, fava de cheiro, fia do sinhô de engenho, gasolina de garrafa, geribita, imaculada, januária, lambida, levanta velho, lisa, malta, mandureba, maria branca, mé, néctar dos deuses, paratí, pitú, preciosa, queima goela, refrigério da philosophia, rum brasileiro, salinas, semente de arenga, suor de alambique, terebintina, tinguaça, uca, uma que matou o guarda, vinho de cana, vocação, ypióca, etc. Talvez a palavra com mais sinônimos na língua portuguesa e talvez em qualquer outra língua.
O caldo de cana é composto por água (85 a 95%), álcool etílico (4 a 12%), ácido lático, ácido acético, ácido butírico, os ésteres desses ácidos, glicerina, os álcoois superiores (o propílico, iso-propílico, butílico, isobutílico, amílico, iso-amílico), furfural (aldeído piromúcico), acúcares, materiais nitrogenados, bagacilhos, células de levedura, bactérias, etc.
O processo de fermentação é sem dúvida o mais importante para a qualidade do produto final. A fermentação ocorre por ação de leveduras, principalmente a Saccharomyces cerevisae, levedura que apresenta a melhor resistência a altos teores alcoólicos. Ao caldo de cana destinado à fermentação dá-se o nome de mosto.
Fonte principal: REVISTA SAÚDE (ano 04,  n° 06, nov 2012)

Nenhum comentário: