sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Biografias de brasileiras - 18

Rita Lobato Velho Lopes (1867 - 1960)
Médica, feminista e política brasileira nascida em São Pedro do Rio Grande, então província do Rio Grande do Sul, a primeira brasileira a obter um diploma regular de medicina e a terceira sul-americana a formar-se em Medicina. Filha de um casal de estrangeiros, Francisco Lobato e Dona Carolina, curiosamente foi graças a um pedido feito pela mãe em seu leito de morte, ao marido, que a levou a realizar seus estudos acadêmicos. Esta gaúcha só pôde iniciar seus estudos após um decreto-lei nº 7247, de 19 de abril (1879) rubricado por D. Pedro II (1825-1891), superando a discriminação da época.
Para cumprir sua promessa, seu pai levou-a até o Rio de Janeiro, onde ela cursou o primeiro ano de faculdade, e depois seguiu para a famosa Faculdade de Medicina da Bahia, em Salvador, onde foi a única a concluir o curso, quatro anos depois (1887), tornando-se especialista em ginecologia e pediatria. Em seu diploma, datado de 11 de dezembro (1887), lia-se para que possa exercer a respectiva profissão com todas as prerrogativas concedidas pelas Leis do Império.
Retornando ao sul, casou com seu namorado de infância, comerciante em Rio Pardo, e passou a clinicar em casa e nos arredores da cidade, atendendo à população mais carente, assim como no hospital onde sofria muita discriminação por parte dos outros médicos homens. Com a abertura dos votos para as mulheres, ingressou na carreira política, tornando-se vereadora em Rio Pardo. Morreu com a avançada idade de 93 anos, em Porto Alegre, entrando para a história como a primeira médica diplomada e profissional no Brasil.
A primeira mulher brasileira formada em medicina e a exercer a profissão regularmente no Brasil foi a médica Maria Augusta Generoso Estrela (1860-1946), que ganhou uma bolsa do Imperador D. Pedro II e diplomou-se (1881) em Nova Iorque, Estados Unidos, tornando-se também na primeira sul-americana a formar-se em Medicina. Ela voltou ao Brasil (1882), revalidou seu diploma e teve intensa atividade médica até sua morte. A chilena Eloísa Diaz Inzunza (1866-1950) foi a segunda (1866).e a primeira médica a obter a graduação em medicina na América Latina.


Nenhum comentário: