sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

Vitamina A

Conhecido também como retinol, o nutriente é uma vitamina lipossolúvel e pode ser facilmente obtido através da alimentação diversificada e saudável. Consumir vitamina A é um dos hábitos mais importantes para o corpo.
Encontrado na alimentação colorida, esse nutriente é fundamental para o fortalecimento do esmalte dos dentes dando um sorriso bonito, essencial para a manutenção de uma boa qualidade da visão, fortalece o desenvolvimento dos ossos, deixa os cabelos mais bonitos, reforça o sistema imunológico e protege a pele dos radicais livres e as mucosas.
Os alimentos ricos em vitamina A são laticínios, gema de ovos, peixe, azeite de dendê, frutas e legumes laranjas e amarelos como batata doce, abóbora, cenoura, manga, folhas verde escuras como alfafa, folhas de mostarda, couve, brócolis, escarola, espinafre e fígado. A de origem animal é denominada vitamina A pré-formada. Já a vegetal é designada carotenóide de provitamina A.
É importante saber que a vitamina A é sensível à oxidação pelo ar. A perda de atividade é acelerada pelo calor e pela exposição à luz. A oxidação das gorduras e dos oleosos, tais como manteiga, margarina e óleos de cozinha, pode destruir as vitaminas lipossolúveis, incluindo a vitamina A. Cozimentos por longos períodos podem provocar perda de 25% do nutriente.
A carência dessa vitamina pode ser notada por sintomas como cegueira noturna, fotofobia, redução do olfato e do paladar, ressecamento da parte branca e da córnea dos olhos, dermatite, estresse e endurecimento das membranas mucosas dos tratos respiratório, gastrointestinal e urinário. Se você está notando alguns desses sintomas estará mais sujeito ao risco de infecções. É recomendável que antes de qualquer mudança na sua alimentação, consultar um nutricionista.
Os vegetarianos que não consomem ovos e laticínios necessitam de carotenóides de provitamina A de forma a prover as suas necessidades da vitamina, e devem ingerir no mínimo cinco doses de frutas ou vegetais diariamente, dando preferência aos de cor verde escura, laranja e amarela.
A ingestão diária recomendada é de 900 microgramas (3.000 UI) para homens e 700 mcg (2.300 UI) para mulheres. O limite máximo é de 3.000 mcg (10.000 UI). No Brasil, a Pesquisa Nacional de Demografia e Saúde (PNDS), em 2006, revelou que a deficiência da vitamina A afeta 17,4% dos menores de cinco anos e 12,4% das mulheres em idade reprodutiva. Em crianças, os maiores graus dessa inadequação foram encontrados nas regiões Nordeste (19,0%) e Sudeste (21,6%).
Mas cuidado, o excesso de ingestão de vitamina A pode provocar dor de cabeça, ressecamento da pele com fissuras, náuseas, dores nos ossos e articulações, perda de cabelos, aumento do baço e fígado, irritabilidade, cansaço, falta de apetite e alterações nas enzimas hepáticas. Essa hipervitaminose pode ocorrer através de suplementação alimentar, portanto, cuidado com a ingestão de suplementos.

Nenhum comentário: