quinta-feira, 31 de janeiro de 2013

Momento lírico 129

DISTÂNCIA
(Karl Fern)

A distância é uma fogueira
Que machuca de verdade
Estopim de uma saudade
Que se aproxima sorrateira
Com seu viés de interesseira
Em conspurcar a felicidade.

Carrega tristeza e ansiedade
Alcançando um alvo ferido
Aflige um coração partido
Alia traços de ingenuidade
Expondo rude a fragilidade
Gera angústia sem sentido.

Nesse redemoinho perdido
Flutua ingênuo pensamento
Maculado pelo afastamento
Temeroso de ser esquecido
Amargura o solitário tolhido
Na inquietude do afastamento.

E tu que estás tão distante
Não esqueças que eu existo
Pois de ti eu nunca desisto.
Saudade é mesmo conflitante
Apesar de parecer lancinante
É um sentimento benquisto!


2 comentários:

Anônimo disse...

A cada dia tocando no fundo da alma dos seus admiradores!!!

Parabéns Carlão!

Lucena Fernandes disse...

Tão bom que as distâncias encurtassem para que não houvesse saudade!