quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Consumo de açúcar


Reduzir o consumo de açúcar pode ter um impacto importante no emagrecimento saudável, e os resultados começam a ser visíveis já no segundo mês de regime. A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que a ingestão diária de açúcar seja limitada a 10% das calorias necessárias. Em uma dieta de 2.000 calorias, por exemplo, o recomendável é não ultrapassar quatro colheres de sopa rasas de açúcar. É importante ressaltar, no entanto, que essa quantidade também inclui alimentos industrializados que levam mel ou xaropes doces em sua composição.
Os resultados podem ser pouco consistentes em crianças porque geralmente elas são mais propensas a desobedecer às recomendações. Mas uma coisa é clara: o risco de obesidade infantil é bem maior entre aquelas que consumem maior quantidade de bebidas adoçadas, como sucos e refrigerantes.
Muitas pessoas têm receio de consumir adoçantes porque os rotulam de produtos químicos. É necessário que todos saibam que, apesar de ser agradável ao paladar, o açúcar branco e refinado recebe aditivos químicos no seu processo de industrialização, além de não possuir quantidades significativas de nutrientes.
Portanto, para manter a saúde sem tirar o doce da alimentação, a solução é trocar o açúcar por adoçantes. O jeito é substituir esse vilão por adoçantes (químicos ou naturais) mais saudáveis, que agregam valor nutricional à sua alimentação. Se possível procure um nutricionista para que ele escolha o adoçante que melhor se adapte à sua rotina alimentar.
Lembre-se que alguns adoçantes levam lactose em sua composição e, portanto, não são indicados para quem não pode consumir produtos derivados do leite, pois podem ter diarreias. Outros adoçantes contêm sódio, o que é contra indicado pra quem tem problemas renais ou de hipertensão.
Atenção! Consumir adoçantes em excesso não é suficiente para proteger o seu organismo do excesso de açúcar. Também é importante reduzir a ingestão de alimentos que se convertem facilmente em glicose graças ao metabolismo, caso dos carboidratos.
Fonte: MINHA VIDA (por e-mail)


Nenhum comentário: