quarta-feira, 23 de janeiro de 2013

Açude da Comissão


Conta a história que durante a violenta seca de 1977, Dom Pedro II (1825-1891) recebeu a visita do político jardinense Coronel José Thomaz D’Aquino Pereira (1839-1912), paraibano de nascimento e ex-intendente do município (1862-1868), que pediu a ajuda ao imperador para construção de um reservatório na cidade para amenizar os efeitos da seca que castigava os seridoenses. Foi atendido com uma verba (comissão!) e o açude na época foi construído com muito esforço e trabalho no chamado lombo de jumento. O açude foi concluído ainda na época do Império, no ano de 1886, e o nome Comissão partiu exatamente daquela verba.
Portanto o açude da Comissão é um marco histórico na existência de Jardim do Seridó. No entanto, encontra-se esquecido pelo poder público a muito tempo. Seria muito importante o tombamento deste verdadeiro monumento da história de Jardim do Seridó, uma história já muito desrespeitada por aqueles que justamente deveriam zelar por este patrimônio cultural. Urge a sua urbanização, transformando-o em uma área de lazer e a construção de, pelo menos, uma pista de caminhada para pedestres contornando sua bacia hidráulica!  
O matagal é uma vergonha e o lamaçal é um caso de saúde pública, principalmente para os que moram nas proximidades. Só a construção da rede coletora de esgotos, com a implantação de interceptores de esgotos sanitários em torno de sua bacia hidráulica, resolveria o problema do mau cheiro e das doenças que podem estar vindo de suas águas. E só eliminando o capinzal de suas margens é que vamos acabar com a proliferação de mosquitos que atormenta as pessoas da vizinhança. Também faz-se necessária a limpeza e a canalização das águas de sangria e, certamente, teremos o ar, temperatura e paisagem mais saudáveis e confortáveis.


Foto superior: Edvaldo Alves (via facebook)

Um comentário:

Anônimo disse...

Olá Profº. Não lhe conheço mas admiro bastante e talvez por vc me lembrar um ex-colega e também muito querido: Iram de Mozinha. Achei muito interessante esse blog e adorei as matérias, principalmente as que mostram Jardim do Seridó nos anos de paz. É isso mesmo, nos anos de paz. Hoje não existe mais isso, é só desunião e desarmonia. Na minha casa tem um montão de fotos de carnavais antigos e vou organizar uma matéria daquele tempo. Dos carnavais da banda de música Euterpe Jardinense com Neném de Laura, Venâncio Preto, Valmir e Valdemar, Dió da Caern, Neném de Chicó, etc... Ha saudades do nosso orgulho adormecido!