domingo, 16 de dezembro de 2012

Momento lírico 111

POEMINHAS SOLTOS
(Karl Fern)

FOI ASSIM...
Vi você entre meus braços
Praticando mil loucuras
As mais sublimes doçuras
No calor de beijos e abraços
E no fogo de muitos laços
Sorvi seu suave cheirinho
Amei cantinho por cantinho
Ocupei seus mimosos espaços
E no meio de tantos amassos
Acordei só... Chorei baixinho!

HUMILDADE
Pensei que sabia muito
Que era assaz instruído
E bastante esclarecido
Pra atingir o meu intuito
Num pensamento fortuito.
Cortei o mal pela raiz
Foi o mais digno que fiz
Pois logo pude perceber
Que enquanto vida eu tiver
Serei um eterno aprendiz!

PORQUE?
Como sendo tão bom na vida amar
Viver tranquilo e se querendo bem
O homem percebe isso com desdém
Esquece o prazer do que é namorar
Pensa só riqueza e poder acumular
Permanece vivendo em pé e guerra
Às vezes por um pedacinho de terra
Não vai ter de vida nem mais um dia
Pra depois que morrer nessa agonia
Não valer nem o que o gato enterra.


2 comentários:

Lucena Fernandes disse...

Adoro esses poeminhas. São delicados e mimosos demais!

Anônimo disse...

Lindos poeminhas! Foi assim"é realmente um sonho......

Adorei!