segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Dor de cabeça


Quando o assunto é dor de cabeça, a grande maioria, infelizmente, costuma procurar atendimento médico apenas quando ela aparece com crises intensas e, principalmente, muito frequentes.  Cerca de treze milhões de brasileiros apresentam esse desconforto diariamente e automedicar-se e não procurar um médico ainda são os erros mais comuns.
Mudar os velhos hábitos é o primeiro passo para acabar com o incômodo. É preciso preciso descobrir quais fatores estão relacionados ao aparecimento das crises. Estresse físico e emocional, barulho, luminosidade excessiva, dormir pouco, jejum prolongado, consumo excessivo de álcool, gorduras, sedentarismo: todos esses são apenas alguns dos motivos mais comuns para que a dor de cabeça apareça.
O uso excessivo de analgésicos, sem prescrição médica, pode transformar uma dor de cabeça esporádica em crônica, ou seja, quase diária. Quanto mais se toma analgésicos, menos efeito eles fazem, o que pode levar a pessoa procurar remédios mais potentes, ou aumentar sua dose. O uso demasiado de medicações analgésicas é hoje a principal causa da enxaqueca crônica.
Deve-se prestar atenção na dor e se a frequência dela não passar, procurar um médico especialista, em geral neurologista, pois dor é sinal de doença, que alguma coisa não vai bem. É um alerta de que algo está fora de ordem no seu corpo e eliminar esse sinal com analgésicos pode trazer consequências indesejadas.
Alimentação adequada, o exercício físico regular e mudanças de hábitos são tratamentos comuns contra a dor de cabeça crônica. Nunca pense que o melhor é esperar a dor de cabeça passar.

Um comentário:

Anônimo disse...

Dor de cabeça....Quem nunca teve que atire a primeira pedra!

Valeu !