domingo, 21 de outubro de 2012

Momento lírico 86

AMOR X PAIXÃO
(Karl Fern)
Aparentando empatias iguais
Genuinamente são diferentes
O amor deixa-nos sentimentais
Apaixonados ficamos dementes.

Na paixão campeiam ansiedades
Altera-se o controle da mente
Depois de satisfeitas as vontades
Serão boas lembranças somente.

No amor o presente é saudade
Virtude de um prazer consciente
Quanto mais se ama de verdade
Muito mais o amor é crescente.

Numa paixão age-se por instinto
Impulsivo, temeroso, arrebatado
No amor não existe o sucinto
É um prazer muito mais devotado

Adulteram a vontade da gente
Mas ambos têm própria verdade
O amor tende ser permanente
A paixão segue a efemeridade

Nos férteis labirintos das paixões
As vezes sobram arrependimentos
E de castelos em construções
Podem ficar muros de lamentos

Nos pilares de um grande amor
Esteiam-se paredes de felicidade
Esculpidas em densas emoções
Tintas em múltipla cumplicidade!

2 comentários:

Anônimo disse...

Coisa mais singla, coisa mais linda, coisa mais encantadora!

ADOREI!

Lucena Fernandes disse...

Esse poema me ajudou a descobrir que o que realmente sinto é amor!
Obrigada!