segunda-feira, 10 de setembro de 2012

Momento lírico 69

JARDIM DO SERIDÓ
(Karl Fern)

Fundada em uma forquilha de rios
Entre fruteiras e vastos carnaubais,
Altivas mangueiras e altos coqueirais
Berço de gente de vigorosos brios.

Recém-nascida foi Vila Conceição
Brilhante ideia d’um brioso Azevedo
Impetuoso seridoense e sem medo,
Pioneiro desse abençoado Sertão.

Exemplo para as cidades sertanejas,
Sobre as copas de oiticicas e cajueiros
Dos frondosas e verdes umbuzeiros
Despontam campanários de igrejas.

Exuberante, histórica e destemida
Lembrada por quem aqui já viveu
Quem cá passou, nunca lhe esqueceu
Por sua beleza natural reconhecida.

Povo ordeiro, humorado e decente
Cidade de mulheres glamorosas,
Elegantes, românticas e mimosas,
Afagos sedutores aos olhos da gente!

Essa cidade é meu orgulho primeiro
Em todo estado norteriograndense
Símbolo vivo da história seridoense
Nordestina e ímpar no mundo inteiro.

Reverencio o Seridó como ninguém!
Louvo a Deus ser seu filho, Jardim!
O Senhor permita seja sempre assim,
Por todos os séculos sem fim. Amém!

2 comentários:

Anônimo disse...

Béla homenagem de um filho a sua terra natal!

Adorei!

José Ricardo Silva-Brasilia-DF disse...

Grande verso dedicado a JS, parabens.