segunda-feira, 30 de julho de 2012

Momento lírico 54

TRISTEZA SEM FIM
(Karl Fern)

É um sentimento de vazio e penoso,
Inconsolável, infeliz e comovente.
Não há algo mais triste e doloroso
Que a perda de alguém da gente.

Seja um amigo íntimo ou parente.
Se consanguíneo ou por afinidade.
Magoa a alma permanentemente,
Dói com imensurável intensidade.

Persevera sólida e perene saudade
Para a qual não há uma só cura.
O tempo abreviará, é uma verdade,
Mas resiste melancólica amargura.

A morte é uma terrível desventura
A qual todos nós estamos fadados,
Na terra qualquer vivente criatura
Dela cedo ou tarde será vitimado.

Deus, o santo criador da bondade,
Nos deu esse crudelíssimo destino!
Mas carecia de tanta impiedade
Ferir-nos com espinho tão ferino?

Resta-nos como infeliz peregrino
Continuar na luta, sobrevivendo,
Pois seja jovem, idoso ou menino
Um dia acabaremos morrendo!

2 comentários:

Anônimo disse...

É meu caro poeta, esse o preço que pagamos pela nossa desobediência!

Belo poema!

Lucena Fernandes disse...

A perda de um ente querido realmente deixa uma tristeza infinda.
Obrigada por nos lembrar que todos temos que superar o sentimento de perda e que esse é nosso destino final!