terça-feira, 10 de julho de 2012

Momento lírico 47

 
MEU VERSO PERFEITO
(Karl Fern)
És fascínio sem estar presente
Maravilhosa mesmo afastada
Delírio da permanência ausente
Perfil de uma imagem sonhada.
          Um corpo de um sentir distante
          Odor de um rarefeito perfume
          Sabor de um beijo estimulante
          Criado na imaginação do ciúme.
Sumida nessa distância infinda
Perdida na imensidão temente
Desejo-te muito mais ainda
Porque és a mais fértil semente.
          Melodia dos flautistas olímpicos
          Deusa tão bela quanto Atena
          Devaneio de repousos oníricos
          Moldura de uma romântica cena.
És o triunfo da própria natureza
Estrela de um brilho encantado
Primor da mais radiante beleza
O mais nobre poema declamado.
           Por mais que o tempo não passe
           Por maior que a distância seja
           Não haverá desgosto que casse
           Esse amor que em mim viceja.
Se eu fosse um poeta de verdade
Tu serias o meu verso perfeito
Não sendo eu criador dessa beldade
Deus a dar-me-ia de qualquer jeito!

2 comentários:

Anônimo disse...

Essa é uma obra de beleza infinita! Uma verdadeira declaração de amor ao coração de uma mulher!

Parabéns!

Anônimo disse...

Que beleza de poema o ML47. Que declaração apaixonada e apaixonante! Faz a gente querer ser amada com essa intensidade!