sexta-feira, 29 de junho de 2012

Momento lírico 41


CONFIANÇA
(Karl Fern)
O tempo é seu fiador
Afirma-se com lentidão
Vem aos poucos com pudor
Ascendendo com precisão

Pode surgir por gratidão
Um envolvimento perene
Gratificante ao coração
Trilha um afeto solene

Sustenta-se na lealdade
Torna almas irmanadas
Espelha-se na sinceridade
Em reciprocas compartilhadas.

Padrão de amizade e amor
Aval do fino conhecimento
Afinidade de alto louvor
Virtuose do comportamento.

Interesses mútuos somados
Limpos, honestos, cooperativos
Abrigo de feitos consumados
Sentimentos leais e altivos.

Em sua crença se espera
Intocável aliança fraterna
Falhando não se recupera
Sua perda deverá eterna

Provida de valores altivos
Munida de paz e esperança
Com fortes vínculos afetivos
É ela, a tal CONFIANÇA!

Um comentário:

Anônimo disse...

A confiança é a base de todo relacionamento sincero, seja amizade, seja familiar seja entre um homem e uma mulher, quando existe confiança o amor com certeza flue mais sereno e não vale a pena amar se não confiar!

Parabéns por mais um tema abordado com tanto bom gosto!