sábado, 19 de maio de 2012

Posição da ducha higiênica

Normalmente os fabricantes possuem manual de instalação para a ducha higiênica, mas são raros os que indicam a altura correta para o ponto de água e para o suporte.
Para as mangueiras com extensão de 1,20, alguns fabricantes recomendam o ponto de água entre 50 a 55 cm e a altura para o suporte deve ficar entre 65 e 70 cm. Essas alturas evitam que a mangueira fique arrastando no piso ou tendo que ficar enrolada.
Não existe certo ou errado para o ponto de alimentação de água: ele pode tanto ficar na direita quanto na esquerda, mas eu recomendo à esquerda pelo fato de a maioria dos usuários serem destros.
Por último, a distância que a ducha deve ficar da bacia sanitária deve ser da ordem de 30-35cm (observar figura).

5 comentários:

Anônimo disse...

Interessante sua sugestão, Obrigado.

HIDROARTE EDIMILSON disse...

não se deve esquecer de que quando existe aquecimentos a gás ou solar deve ser instalado junto com a tubulação da água fria uma válvula de retenção, para que a agua fria não passe direto pela ducha e vá para o reservatório fazendo com que a agua esfrie.

Márcio disse...

Posso estar exagerando mas para mim o ideal seria duas válvulas de retenção, uma na saída quente e uma na saída fria. Isto evitaria que a água fria fosse para a tubulação quente e vice-versa, isto no caso de os registros ficarem abertos. É comum as pessoas colocarem a ducha no suporte após o uso e esquecerem de fechar os registros do misturador. Posso estar errado mas assim penso.

Professor Carlão disse...

Caro Márcio,
Bom dia!
Você está completamente certo, colega Márcio, no caso de se pensar como mais um recurso preventivo! Há sempre inúmeras maneiras de se precaver contra relaxamentos possíveis dos usuários, desde a instalação de dispositivos auxiliares ou de equipamentos apropriados! Por exemplo, contra gastos excessivos de água e/ou de energia! O problema são os custos que isto acrescenta ao projeto e das possibilidades desta ocorrências! É a história do "custo-benefício", tão crucial para a credibilidade de nós engenheiros projetistas!
Um fraterno abraço,
Carlos Fernandes

Julio Fernandes disse...

Isso é verdade Carlão, mas sempre digo que o barato quase sempre sai caro algum tempo depois. As vezes o cliente quer economizar algumas moedas, e depois tem que gastar uma fortuna para refazer algo que deu problema, sem contar na gama de ditos "profissionais" que na verdade fazem no achismo, e deixam algum problema para o futuro.