sexta-feira, 16 de março de 2012

Momento lírico 01

        
            
                                               A DOR DE UM POETA
                                               (Sue Leon)



Que faz um poeta sozinho
Distante de sua amada!
Fita perdido a calçada,
Na mente um redemoinho,
Só pensa ficar pertinho
Mesmo que não diga nada.

Sua voz fica calada,
No olhar vê-se o tédio,
Pra ele não tem remédio,
A solidão é malvada,
A luz do dia é parada,
Não há brisa nem assédio.

Quem sabe por intermédio
De uma ordem telepática,
Uma raiz matemática,
Lhe mostre um termo médio,
Que seja o tal remédio
Pra tamanha problemática.

Uma ilusão emblemática
Revolve a imaginação,
Acelera o coração
Numa esperança apática.
Uma miragem lunática.
Logo vem a frustração.

A dor da separação
O corrói como ferida.
Uma emoção perdida,
O choro de uma canção.
E clama com aflição
Por quem já é sua vida!

4 comentários:

Anônimo disse...

Este é o meu preferido!!

Parabéns!!

Anônimo disse...

Acho que esse realmente parece um poema feito por um engenheiro apaixonado!

Anônimo disse...

Tenho uma particularidade com esse poema, no dia que foi publicado, fiquei realmente encantada, pois falava do desejo que o autor nutria por encontrar sua amada, e coincidentemente no dia seguinte conheci pessoalmente o homem da minha vida!

Simplesmente Fantástico!

Parabéns!

Anônimo disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.