sexta-feira, 23 de março de 2012

Tanques Sépticos - Evolução Histórica

O tanque séptico, mais conhecido como "fossa séptica" vem sendo utilizado há pouco mais de 100 anos. Foi a primeira unidade inventada para o tratamento de esgotos e até hoje e a mais extensivamente empregada, em todos os países.
Na pequena cidade de Versoul, no Departamento de Alto Saorne, França, o construtor Jean Louis Mouras, repugnava-se com o trabalho dos operários que executavam a limpeza dos fossos estanques, onde se acumulavam, durante certo tempo, os excrementos domésticos. Naquela época os dejetos ou eram simplesmente despejados nas vias públicas durante a madrugada, ou eram acumulados em fossos para limpeza periódica.
E assim, ele criou e patenteou seu primeiro tanque séptico (1881) com o título "Eliminador Automático de Excrementos". Os resultados foram considerados misteriosos e surpreendentes e recebeu o apoio do chefe religioso local, abade Moigno, cujas iniciativas para difusão da nova invenção foram coroadas de pleno êxito.
Em pouco tempo o tanque séptico generalizou-se na França e nos países vizinhos. O aparecimento do tanque séptico na Grã Bretanha veio logo depois, tendo sido patenteado pelo Eng. Donald Cameron, a quem se deve a denominação "tanque séptico" (1896). O inglês passou a aplicar o seu tanque de tratamento de esgotos não só nas residências como também em pequenas aglomerações e até mesmo cidades. Os seus negócios prosperaram muito e ultrapassaram as fronteiras da ilha, com a venda de projetos e de licenças nos Estados Unidos e em outros países.
Os defeitos e as limitações dos tanques sépticos foram estudados a partir do final do século. O Eng. Clarck, pesquisador da famosa Estação Esperimental de Lawrence, Mass., foi o primeiro a propor a idéia de subdivisão interna dos tanques, com o propósito de melhorar as suas condições de funcionamento (1899).
Depois KarI Imhoff, engenheiro alemão foi encarregado de sanear o Vale do Emscher. Baseado nas observações do engenheiro inglês, W.D.Travis, na cidade de Hampton, e o seu “tanque hidrolítico" com dois compartimentos ou duas câmaras (1903), ele idealizou o novo tipo de unidade que passou a ser designado por "Tanque Emscher" ou "Tanque Imhoff (1905) e publicou largamente sobre o assunto.
Nos Estados Unidos avalia-se que cerca de 30% de toda a população serve-se de tanques sépticos e 85% das novas habitações construídas fora das áreas servidas por redes de esgotos são equipadas com esses tanques.
No Brasil a aplicação pioneira parece ter sido o grande tanque construído em Campinas para o tratamento dos esgotos urbanos (1892), mas começaram a ser difundidos de modo mais generalizado a partir dos últimos anos da década de 1930.

 
Fonte: MELO, V. O. & AZEVEDO NETTO, J. M. - Instalações Prediais Hidráulico-Sanitárias, Ed. Edgard Blücher Ltda, São Paulo, 1988.

Nenhum comentário: