domingo, 25 de março de 2012

Para leituras, discussão e debates

EM DEFESA DO AÇUDE COMISSÃO
Para que a polêmica não morra e os poderes públicos assumam uma solução.
PREMISSAS:
1 – Nos meus tempos de infância e adolescência usei esse açude foi nossa fonte de água, carregando-a de galão em galão porque a água do Rio Seridó (das cacimbas de Seu Inácio Soares!) era salobra e não prestava nem para lavar roupa e, assim como eu, muita gente pobre da cidade fazia o mesmo;
2 – Que lá existia uma lavanderia que todas as “lavadeiras” da cidade limpavam suas roupas e demais tecidos dentro deste edifício e que alguém, inexplicavelmente e com muita ignorância histórica, derrubou;
3 – Que o referido açude serviu e ajudou muito gente ainda viva a sobreviver sem passar sede ou adoecer por falta de higiene;
4 – Que com sua evaporação diária, certamente este espelho de água ajuda com alguma parcela a aliviar a quantidade de calor ambiental e aumentar a unidade relativa do ar, melhorando nosso conforto ambiental;
5 – Que nenhuma cidade que se preze abandona ou acaba com seus espelhos d’água urbanos (João Pessoa: Parque Solon de Lucena; Campina Grande: Açude Velho; Rio de Janeiro: Rodrigo de Freitas; Belo Horizonte: Pampulha;... É só pesquisar - ou lembrar por onde passeou ou morou - e ver os inúmeros exemplos);
(Com certeza os caicoenses nem pensam um dia secar o Itans para venderem sua lama e lotearem sua área? E olhe que lá a área um enormemente maior e tem muitas vezes mais lama!)
6 – Que o açude já estava lá quando esses moradores em suas margens chegaram para ocupar suas margens e jogar seus esgotos dentro dele sem nenhuma preocupação em construir pelo menos uma fossa de vergonha;
7 – Que a consciência histórica, ambiental e ecológica dessas pessoas é do tamanho da cabeça do alfinete, ou não têm nenhuma.
COMPARAÇÃO:
As pessoas que querem a destruição do açude, comportam-se exatamente como aquelas que após serem criadas, cuidadas e servidas com todo carinho pelos pais, esquecem de tudo que foi feito e os desprezam. Podemos fazer a seguinte comparação:
a)       quando os avós ou pais ficam velhos mandam para qualquer abrigo para ficarem com suas propriedades (que ele juntou durante anos),  ocuparem sua casa (que sempre foi sua morada)  e gozarem de seus benefícios sociais (barganhando antecipadamente seu espólio, inclusive suas aposentarias);
b)       quando o pobrezinho da Comissão está velho, querem manda-lo “embora” (arrombando-o) para venderem sua lama (que ele juntou durante anos), ocuparem sua bacia hidráulica (que sempre foi sua morada) e gozarem de seus benefícios sociais (barganhando antecipadamente seu espólio, inclusive a valorização imobiliária de sua área);
Então, com o nosso Comissão, em agradecimento pelo seu passado de serventia e sua importância ecológica, devemos revitalizá-lo para que possamos apreciar sua beleza e deixar nossa paisagem mais alegre, tal qual devemos fazer com nossos pais, em agradecimento pelo seu passado de serventia: cuidá-los e deixá-los viver na velhice uma renovação e revigorá-los para que possamos apreciar suas felicidades e alegrias.
CONCLUSÃO:
Quero dizer para estas pessoas que pensam acabar com o Açude da Comissão, que desarmem seus espíritos e vamos juntos salvar nosso histórico reservatório, exigindo dos poderes públicos seu tombamento oficial e, consequentemente, o projeto e construção da drenagem das águas servidas afluentes para sua bacia hidráulica e eliminar seus capinzais, despoluindo-o, e construir em seu entorno uma pista dupla para ciclistas e para pedestres desenvolverem suas caminhadas, certamente com ar, temperatura e paisagem mais saudáveis e confortáveis.
Secar o açude apenas fará com que os esgotos que hora se acumulam em sua bacia se espalhem pelo resto da cidade canal abaixo, prejudicando uma área muito maior e com muito mais gente.
Vamos fazer como os londrinos que a mais de cem anos atrás uniram-se para salvar o Rio Tâmisa! Ou será que estamos mais de cem anos atrasados ou simplesmente pior: ainda estamos imbuídos do espírito ganancioso dos colonizadores europeus.
Só a construção da rede coletora de esgotos resolve o problema do mau cheiro e das doenças que podem estar vindo de suas águas. E só eliminando o capinzal de suas margens é que vamos acabar com a proliferação de mosquitos que atormenta as pessoas da vizinhança.

Nenhum comentário: