segunda-feira, 26 de março de 2012

Momento lírico 06

      
         SOLITÁRIO ANOITECER
      (Karl Fern)

Sob o clarão do sol poente
Num painel bem colorido
Por entre nuvens atrevido
Um raio de luz saliente
Ilumina assim de repente
Um último galho florido.
No dia quase adormecido
Ouve-se o último gorjeio
De um pássaro sem receio
Em seu poleiro escondido
Nem pensa em ser abatido
Por um gavião em passeio.
E o anoitecer vem em meio
A ausência da luz solar
Vem a iluminação do luar
A lua conduz em seu seio
O despertar de um anseio
Flui romantismo no ar.
Aos poucos, bem devagar
Sopra um leve friozinho
Alcança seu corpo sozinho
E começa a lhe mostrar
Quanto lhe podia amparar
Uma bicada de carinho.
E o solitário passarinho,
No anoitecer do sertão
Os acordes da sua canção
Não ressoam em outro ninho
E ele segue em seu cantinho
Curtindo dolorosa solidão.
E nessa noite de verão
Depois de uma chuva fina
A longa madrugada termina
Seus gorjeios não mais virão
Pois um corpo está chão
Sem vida, cumpriu sua sina.
O amor é como uma vacina
Em passarinhos ou humanos
Não viva sob os enganos
Pois o tempo nos ensina
A alegria do viver termina
Se na cama só há panos.

Um comentário:

Anônimo disse...

Simplesmente Perfeito!!